David Navarro López

vor 4 Jahren · 3 min. Lesezeit · visibility 0 ·

chat Kontakt mit dem Autor

thumb_up Relevant message Kommentar

Comece a colocar vida nos anos

Comece a colocar vida nos anosMuita gente pensa que a maior descoberta da humanidade desde a revolução Industrial no século XIX são as comunicações globais ou a internet.

Mas nossos antepassados já se comunicavam há 30.000 anos com contos ou danças rituais para transmitir os conhecimentos às gerações futuras, mais eficientemente do que hoje com as novas tecnologias.

Tentamos compensar isso com os emotions, mas a riqueza e matizes que um ser humano pode transmitir ainda estão mudos.

Na minha opinião, o maior avanço da humanidade nos últimos 200 anos foi:

O aumento da expectativa de vida

No século XIX, a expectativa de vida era de 30-40 anos.

Desde o “homo sapiens” (100.000-200.000 anos atrás) en apenas 200 anos aumentou de 30-40 anos para 80-90 anos

O ciclo da vida se reduzia a nascer, crescer, reproduzir-se e morrer pouco depois, no auge da plenitude física e mental.

Hoje, vivemos o dobro de anos depois da nossa idade reprodutiva, até os 80-90 anos.

Aprendemos a pôr muitos anos na vida.

Estamos cansados de ver jovens que andam pela vida como autênticos zumbis, sem expectativas.

Pessoas de todas as idades amarguradas, que suspiram a semana toda para que o fim de semana chegue, unicamente para passá-lo jogadas o dia todo no sofá, com a mente em branco em frente da televisão.

A má noticia é que não estamos geneticamente preparados para viver tantos anos, para presenciar o nosso declive físico e mental, para perder os nossos entes mais queridos depois de muitos anos de convivência com eles, ou para conhecer nossos netos e bisnetos.

Experimentar essas coisas, que até agora eram desconhecidas para nós, seres humanos, nos leva a um sentimento de progressiva e incontável tristeza, que desemboca, na maioria das vezes, no mal mais comum de nossos tempos:

A depressão.

O nosso próximo desafio é pôr vida nos anos. Algumas sugestões para que isso aconteça.

5f96d7f2.jpg

Mantendo o nosso corpo

Durante 200.000 anos, nós não precisamos ter cuidado com nosso corpo da mesma forma que nos precisamos hoje. Nós morríamos sem alcançar o nosso declive físico. A primeira coisa que nós devemos aceitar é o fato de que não importa que estado nosso corpo tem aos 40 anos: no dia seguinte, ele estará sempre pior.

Ninguém vai te querer mais do que você mesmo. Então o exercício diário é uma obrigação. Sem exceções. Sem desculpas. O teu corpo vai te agradecer, e vai te permitir seguir em frente.

Preste atenção ao que você come

Até agora, você não precisava ter muita preocupação com isso. Mas quando o corpo declina, não processamos a comida da mesma forma, então podemos necessitar dos suplementos, das vitaminas dos antioxidantes, e, por outro lado, algumas comidas começam a atuar como veneno para nosso corpo.


Alimente regularmente o seu cérebro

Más noticias: o cérebro não está preparado para viver 100 anos. Depois dos 12 anos de idade, o desenvolvimento do cérebro está quase finalizado e, a partir daí, 12.000 neurônios morrem a cada dia. A capacidade de aprender e a memória começam a declinar devido a isso. Essa tendência piora quando somos mais velhos. Os níveis de acetilcolina, a substância que permite que os nossos neurônios se comuniquem, também declina. O Alzheimer é uma enfermidade neurodegenerativa que se origina disso.

Ler e aprender melhora e reforça essas conexões

Quanto mais tarde você começar a „exercitar“ o seu cérebro, maiores serão as probabilidades de você desenvolver essa enfermidade mais cedo. O cérebro é uma das poucas coisas na vida que fica reforçada se você usá-lo, e se deteriorou se você não usá-lo.

Por isso, leia, leia leia e não pare de aprender nunca! Se você perde a capacidade de aprender coisas novas, é possível que você não a recupere mais. Ninguém está preparado para viver com um idiota 50 anos. Você também não.

Alimente regularmente a sua alma

Nós vivemos em um mundo onde recebemos literalmente uma enxurrada diária de más notícias, e isso pode nos fazer esquecer as coisas boas que temos. Se você sente que não tem razões para viver, sente-se e faça uma lista de 20 coisas na sua vida pelas quais vale a pena lutar, ou pelas quais você deve estar agradecido.

Sim, somente 20.

Pode parecer um número muito alto quando você começa, mas você vai ver que tem muito mais do que somente 20.

A nossa falta de felicidade pelas coisas que não temos tem sua origem na falta de gratidão por aquelas que temos.

Todas as coisas que nos fazem felizes: rir, dançar, saltar, fazer amor, vão nos desarrumar o cabelo.

Viva “despenteado.”

Siga sorrindo, amando, abraçando, compartilhando. Somente faça as coisas pelas quais você sinta paixão. A vida é muito curta. Não a venda barata.

Às vezes, você não precisa mudar a sua vida toda. Talvez somente a maneira de como você caminha por ela.

Crédito das fotos (que inclui uma lição)

http://www.boredpanda.com/perfect-kingfisher-dive-photo-wildlife-photography-alan-mcfadyen/

Alan McFayden levou 6 anos, 4.200 horas e 720.000 fotos para capturar o momento exato em que o passarinho martim-pescador encontra a água sem fazê-la saltar.

Para colocar a vida nos anos pode ser complicado, e precisa do mesmo nível de constância e paciência Alen McFayden Mostrou para conseguir a foto perfeita.

Acima de tudo, nascemos para sermos felizes, e não para sermos perfeitos.

Preocupe-se sempre em se lembrar do que você quer e do que você não quer.

E se você errar, comece outra vez.

O segredo está em não ter medo de se equivocar e em saber que você precisa ser humilde para aprender.

Seja paciente para esperar os seus êxitos e parabenize-se por eles.

E se isso não bastar, analise as causas e tente novamente com mais força.

O mundo pertence aos que são suficientemente corajosos para sonhar e para se arriscar a viver os seus sonhos.

Bibliografia de referência

Emilio Duró. “Optimismo e Ilusión” Conference in YouTube in Spanish

Dr. John Bargh, Yale’s University Psicologist, http://www.yale.edu/acmelab/

Eduard Punset “Viaje al Optimismo” https://en.wikipedia.org/wiki/Eduard_Punset

G.H.Eggetsberger Gerhard_H._Eggetsberger on Wikipedia

Paul MacLean https://de.wikipedia.org/wiki/Paul_D._MacLean

John Grinder https://de.wikipedia.org/wiki/John_Grinder

Richard Bandler https://de.wikipedia.org/wiki/Richard_Bandler

Chris Hadfield An Astronaut Guide to Optimism

Assistência de tradução : Erica Steffen Borges

""
thumb_up Relevant message Kommentar
Kommentare
David Navarro López

David Navarro López

vor 4 Jahren #2

DILMA BALBI -\ud83d\udcc3 Engenharia&gest\u00e3o

Javier 🐝 CR

Javier 🐝 CR

vor 4 Jahren #1

Tifany Rodio

Weitere Artikel aus David Navarro López

Blog ansehen